PIBIC

foto: Instalação / 2015, Isac Leite


PIBIC é o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica, financiado pelo CNPq ou pela Universidade. Voltado para o aluno de graduação, tem como principais objetivos: despertar vocação científica e incentivar talentos potenciais entre estudantes de graduação universitária, mediante participação em projeto de pesquisa, orientados por pesquisador qualificado, com vistas à continuidade de sua formação, de modo particular na pós-graduação.

Professores do Curso de Artes com Projetos de Pesquisa podem selecionar alunos para atuar em seus projetos como bolsistas de Iniciação Científica.


PIBIC ARTES 2018


CORPO E ARTE
Orientadora:
Dra. Viviane Matesco
Bolsista: Lucas Alberto Miranda de Souza
Curso: Artes

O projeto Corpo e Arte investiga o novo estatuto do corpo nos trabalhos artísticos de 1990 a 2018 e sua especificidade em relação à geração dos anos 60 e 70. Propomos o mapeamento e análise de trabalhos dessa nova conjuntura (1990 a 2010) na região metropolitana do Rio de Janeiro. A pesquisa concentra-se nas diversas vias de expressão artística centradas no corpo divididas nos seguintes segmentos: 1. Corpo em presença, seja em performance e/ou intervenções urbanas; 2. Corpo e hibridismo, em imagem (fotografia, filme e vídeo), fragmentos e próteses; 3. Corpo como projeção, integra trabalhos que se apresentem o corpo como projeção imaginária. O intuito é averiguar a produção dos últimos vinte anos focalizando o Estado do Rio de Janeiro, mas a partir de relações com um universo mais amplo, tanto nacional quanto internacional. Também a relação com outros períodos será baliza de maneira a possibilitar proximidades e distanciamentos entre práticas artísticas e contextos culturais.


CORPOREIDADES POÉTICAS EM TRÂNSITOS URBANOS
Orientador: Dr. Luiz Guilherme Vergara
Bolsista: Daniela Martins da Silva Moreira
Curso: Produção Cultural

A presente proposta de pesquisa pretende elaborar uma genealogia dos processos artísticos que se desdobram a partir do ato de caminhar pelo espaço urbano como “prática de cidade” enunciativa, tomada como suporte de manifestações poéticas ambientais. Tendo a centralidade fenomenológica do corpo-mundo como causalidade recíproca de movimentos e percepções, este estudo foca na condição nomádica do estado poético peripatético em diferentes casos, a partir de Courbet – Baudelaire no Século XIX, para desenvolver uma cartografia dos posicionamentos geopoéticos no contemporâneo.

Destaca-se ainda o especial interesse da pesquisa em abordar a forma como estes acontecimentos poéticos urbanos foram se transformando e se expandindo como práticas e processos artísticos ao longo do século XX, demarcando uma virada radical a partir do surgimento da Internacional Situacionista . As relações com as mudanças dos meios e dispositivos de produção de imagem e registros também formam uma importante dimensão desta pesquisa.

Segue-se então uma inflexão de impacto sistêmico tanto no lugar do artista no mundo quanto nas demandas por novas institucionalidades da circulação e recepção dessa produção, sendo critica a sua própria materialidade enquanto suporte digital aberto para as novas mídias e redes sociais, o que também traz novos dilemas sobre a centralidade do artista na produção de imaginários simbólicos na sociedade contemporânea.


EXPERIMENTALISMO TECNOLÓGICO E SONORIDADES
Orientador: Dr. Giuliano Obici
Bolsista: Núbia de Moura Borges
Curso: Artes

O presente projeto de pesquisa tem como tema a mediação tecnológica no campo do experimentalismo sonoro. Seu objetivo é investigar e repensar o papel das tecnologias como mediação partindo de uma investigação de repertório artístico onde o uso e a apropriação de dispositivos tecnológicos tendem a delinear o campo das práticas experimentais em torno da sonoridade. A pesquisa parte da noção de instrumento musical como mediação para repensar o uso dos dispositivos audiovisuais e midiáticos nas artes. Pensando o aparelhamento tecnológico propõe-se visitar conceitos como dispositivo em Foucault e Deleuze, a noção de aparelho e aparato em Vilém Flusser, assim como a ideia de metamídia discutida por Lev Manovitch que aponta o computador como um meta-instrumento. Essa revisão conceitual busca constituir um campo teórico para abordar práticas experimentais tão distintas onde a mediação tecnológica do sonoro se faz presente, tais como hacking, do it yourself, bricolagem e circuit bending para citar algumas. Seria possível encontrar elementos comuns entre essas práticas? Quais seriam esses elementos no contexto experimental brasileiro? Diante de tais perguntas a hipótese é de que existem indícios que apontam a gambiarra como um elemento chave,para descrever processos, modos de uso e subversão tecnológica.


VIDEOPERFORMANCE: CORPO EM TRÂNSITO
Orientador: Dr. Luciano Vinhosa Simão
Bolsista: Isabela de Oliveira Barbosa
Curso: Artes

O presente projeto de pesquisa se desdobra do estudo anterior sobre a fotoperformance, considerando as diferentes nuanças que a performance manteve e ainda mantém com seus modos de registro e documentação: a fotografia e, agora, o vídeo. Tendo como ponto de partida os vídeos documentais e as performances pensadas para o registro videográfico, e portanto ainda imagens documentais, pretende-se primeiro nuançar as diferenças conceituais e técnicas entre o mero documento e a performance que se pensa através do vídeo-registro em virtude da característica das imagens técnicas que Walter Benjamin (1994) qualificou de “inconsciente ótico” assim como da noção de “extremidades” a qual Christine de Mello (2008) recorre para abordar a produção videográfica que fica entre linguagens, no caso, a do vídeo e a da performance. Espera-se chegar a noção de videoperformance propriamente dita, naquilo que esta seria uma construção a partir de ambientes digitais, considerando os recursos de enquadramentos de câmera e de efeitos de edição, visando a constituição de espaços de imersão.


OS MESTRES PEDAGOGOS DOS ANOS SESSENTA:
O TEATRO-RITUAL DE JERZY-GROTOWSKI, PETER BROOK, EUGENIO BARBA
Orientadora:
Dra. Martha de Mello Ribeiro
Bolsista: Lucas Rodrigues de Souza
Curso: Antropologia

Investigar o teatro de pesquisa dos grandes mestres pedagogos que revolucionaram o fazer teatral nos anos sessenta: Jerzy Grotowski, Peter Brook e Eugenio Barba. Protagonistas de uma grande mudança de paradigma no teatro,  que superou os elementos constitutivos da atividade teatral mimética, esses mestres modificaram não apenas a qualidade da presença do ator e de sua relação com o espectador, como realizam uma verdadeira revolução ética (além de estética) nas artes da cena.  A pesquisa é acompanhada por trabalho de campo, no Laboratório de Criação e Investigação da Cena Contemporânea (LCICC –UFF), coordenado pela Profª Dra. Martha Ribeiro, investigando o cruzamento entre teatrologia e antropologia a partir do desenvolvimento pedagógico e criativo dos atores residentes em um espaço laboratorial de pesquisa da cena teatral contemporânea.


TEATRO , LINGUAGEM, RITUAL E RESISTÊNCIA
Orientadora:
Dra. Andrea Copeliovitch
Bolsista: Verônica Alonso Gomes de Souza Rezende
Curso: Artes

Criação e organização de matrizes para o ator/bailarino que falem de questões relevantes para aqueles que vivenciam o processo, buscando comunicá-las ao público de forma horizontal.


 


monitoria | desenvolvimento acadêmico | pibic


curso | estrutura | extensão | bolsas | documentos